segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007

AQUECIMENTO GLOBAL

AQUECIMENTO GLOBAL - O GRANDE VILÃO:
Todos esses eventos aqui citados estão diretamente relacionados com o aquecimento global do planeta Terra, onde o real responsável por este apocalipse climático é o EFEITO ESTUFA, causado pela “mão” humana, pelo menos desde à invenção da máquina à vapor no século XVIII, as concentrações de CO2 – Dióxido de Carbono na atmosfera se elevaram cerca de 25 % pela queima de combustíveis fósseis, como o petróleo e o carvão, onde os níveis de CO2 são os mais altos nos últimos 400 mil anos. Medições evidenciam que o dióxido de carbono aumenta na atmosfera na ordem de 0,4 % ao ano, isto é, cerca de 6 bilhões de toneladas, onde aproximadamente metade desse gás é absorvida pelos vegetais (principalmente no mar), enquanto a outra metade permanece na atmosfera. O ser humano alterou tanto o meio ambiente, que até um pesquisador holandês – Paul Crutzen, chega a afirmar que a época geológica atual (Holoceno) iniciada há apenas 10 mil anos já se encerrou, e segundo ele estamos no Antropoceno desde o século XVIII, quando teve início à revolução industrial Mas o CO2 não é o único vilão, outros gases também colaboram para o aumento do efeito estufa, como o metano, os cloro-flúor-carbonos, os óxidos nitrosos e o ozônio. Todos esses gases provocam o efeito estufa em nosso planeta, pois o calor proveniente do Sol fica detido pelos os mesmos, provocando assim, a elevação da temperatura – o EFEITO ESTUFA, que por sua vez, provocará modificações no regime de chuvas, nos regime dos ventos, na temperatura da superfície do mar, etc, ou seja, como já citado no parágrafo acima, as chuvas e os ventos ficam mais violentos, haverá cada vez mais furacões e de tornados, inundações catastróficas e secas prolongadas. Há modelos climáticos que evidenciam que se continuar essa taxa elevada de emissão de CO2 na atmosfera, a concentração do mesmo poderá dobrar até 2030, e neste mesmo ano o nível do mar se elevaria pelo menos meio metro. É lógico que a Biosfera terrestre esta totalmente desequilibrada, onde para muitos biólogos a Terra em seu conjunto seria um “organismo vivente” – é a teoria de GAIA, criada pelo o biólogo inglês James Lovelock, onde em seu livro afirma que à natureza (Terra) sempre vai tender à buscar o equilíbrio, e pelo o fato da humanidade agredir seriamente o meio ambiente, a mesma vai tentar “livrar-se” de seus agressores – seria a extinção da humanidade? Será que as atuais alterações climáticas são uma resposta de Gaia contra os seus agressores? Será tarde demais para evitar o “Dia Depois de Amanhã” ?

ALERTA para TERRA - o GGE



O derretimento das Geleiras é uma consequência grave do aquecimento global, com na foto acima, onde o autor presenciou um degelo nos Alpes.




Um Alerta Apocalíptico!O GGE – Evento Geofísico Global, que foi bem retratado no filme “The Day After Tomorrow” ( O Dia Depois de Amanhã), mostra uma das principais ameaças para o planeta juntamente com à elevação do nível do mar, é a drástica alteração da circulação das correntes marítimas do Atlântico Norte, por exemplo, na corrente do Golfo ou “Gulf Stream”, que é responsável pelo o aquecimento do noroeste do continente europeu, pois ela leva águas quentes com alta salinidade para a região ártica, onde se resfriam e por serem mais densas e salgadas, submergem e voltam pelo o fundo do mar para a região tropical – no golfo, assim mantém o equilíbrio da circulação. Porém, com o aquecimento do planeta aumenta o degelo da região Ártica e Siberiana, formando grandes rios que deságuam no mar, causando em seguida à diluição das águas salgadas, podendo fazer com que estas águas tenham uma diminuição de sua densidade – fato que pode quebrar o sistema de circulação dessas águas, pois com à densidade reduzida, essas águas não vão mais descer ao fundo do mar e, obviamente interrompendo à circulação e o fluxo de retorno das mesmas para à região do golfo, então, o hemisfério norte pode congelar!
Observada do espaço, a Terra é uma bela “esfera azul”. Em todos os lugares temos à manifestação de uma enorme variedade de formas de vida, onde essa diversidade teve sua origem há pelo menos 3,5 bilhões de anos, com o surgimento das primeiras bactérias primitivas. Porém, um outra corrente científica (Panspermia) acredita que à vida na Terra teve origem extraterrestre, através de impactos de cometas e meteoritos a base de carbono, pois sabe-se que neste corpos celestes estão presentes inúmeras substâncias orgânicas, ou seja, com elemento carbono – primordial para à vida. Mas não importa como à vida se estabeleceu em nosso planeta, mas o ser humano com seu jeito predatório de ser esta à destruindo. Alguns cientistas acham que estamos caminhando para a 6ª extinção em massa, pois evidências geológicas mostram que já ocorreram 5, sendo que a mais conhecida é aquela que causou à extinção dos dinossauros, há 65 milhões de anos, inclusive podemos verificar isso no território brasileiro na região de Souza (sertão da Paraíba), onde há pegadas de dinossauros que existiram até esse período. Portanto, não esta na hora da humanidade mudar o seu jeito de ser? Quantos mais países precisaram ser devastados por catástrofes naturais? Infelizmente o Brasil não esta mais livre dessas catástrofes, pois é muito provável que no próximo período do outono venha ocorre tornados, estiagem ainda mais avassaladora e até mesmo ocorrência de furacão na região sul devido ao aquecimento das águas do Atlântico Sul.

Autor: Paulo Aníbal G. Mesquita
e mail: pauloanibal@yahoo.com.br
fone: (0xx11) 9679-2160
Biólogo &Professor